Em Destaque

Qual a origem do hidromel?


O grande debate

A história do hidromel é tão rica e cativante quanto a própria bebida. Sua origem, bem como a origem de outras bebidas fermentadas, como cerveja e vinho, é cercada por mistérios e pressupostos. Os debates sobre qual deles surgiu primeiro são longos e continuam sendo discutidos por arqueólogos e historiadores até hoje, mas o hidromel tem uma vantagem sobre os outros por alguns motivos.

A primeira é que, diferentemente do vinho e da cerveja, o hidromel não requer domínio da agricultura para sua produção e é um recurso durante todo o ano (ao contrário de certas frutas e cereais). Outro ponto é que o mel é consumido e coletado pelo homem, milênios, de fato, bem antes do homem moderno. Como os chimpanzés e outros primatas, nossos ancestrais também desfrutavam dessa comida.

É provável que o hidromel tenha sido descoberto e redescoberto em várias regiões em diferentes períodos históricos, mas imagine o seguinte cenário: Um grupo de caçadores paleolíticos se prepara para embarcar em uma expedição por vários dias. Eles enchem a pele com água (uma espécie de saco de pele), iniciam sua jornada e encontram uma colméia. O grupo consome parte do mel e, para não desperdiçar os alimentos nutritivos, o restante é armazenado em uma das peles com água para consumo futuro junto com o restante da tribo. Depois de alguns dias, os caçadores retornam e percebem que o líquido "magicamente" foi transformado em algo novo.

Através das civilizações.

Ao longo dos séculos, o hidromel estava ganhando popularidade nas civilizações e era frequentemente relacionado aos deuses, concedendo a reputação de uma bebida milagrosa e sagrada. Os gregos, por exemplo, que chamaram a bebida de Ambrosia ou Néctar e acreditavam que o hidromel poderia prolongar a vida, aumentar a saúde, a força, a virilidade e a inteligência. Para eles, a bebida desceu do céu como orvalho antes de ser recolhida pelas abelhas. Para os vikings, era a bebida preferida dos deuses (e deles também). Os celtas já acreditavam em um rio de hidromel que atravessava o paraíso, enquanto os anglo-saxões consideravam o hidromel como a bebida que daria imortalidade, poesia e conhecimento.

A popularidade mística que mantinham hidromel nos rituais do templo o tornou um remédio natural nos primeiros estudos da medicina ocidental. Na Inglaterra, havia um número específico de hidromel com sabor de ervas para curar doenças, como o bálsamo para ajudar na digestão e expulsar a melancolia. O nome para esses hidromel temperados é Metheglin, que vem da palavra "medcyglin", que significa medicina.

Ao longo dos anos, o hidromel diminuiu a produção no sul da Europa, onde as uvas se tornaram uma fonte mais barata e fácil de manusear na produção de vinho. Mas no norte, onde as videiras estavam menos disponíveis, a popularidade do hidromel continuou. Embora a produção tenha recuado, ainda era usada em muitos rituais do templo e grandes cerimônias, enquanto as cervejas eram consumidas diariamente, conquistando o público para sempre.

A mitologia do hidromel continua hoje, muitas vezes despercebida pela maioria. O termo "lua de mel" vem da antiga tradição de dar hidromel para as primeiras noites para garantir uma união frutífera. E o pagamento ao produtor de hidromel era frequentemente aumentado, dependendo da velocidade e se o primogênito era do sexo masculino.

Hidromel hoje

Na última década, sua popularidade vem crescendo em todo o mundo. E o desenvolvimento desse mercado já é visível na Europa e nos Estados Unidos. Existem várias menções a hidromel em obras literárias e filmes da cultura pop, como Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Game Of Thrones, além de jogos como a série de RPG The Elder Scrolls, contribuindo para a disseminação da bebida.

Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram ícone social